quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Reflexões sobre a interação deuses x humanidade

Se conectar com uma divindade não é tão difícil quanto parece. Para ser honesta, quem coloca a dificuldade na comunicação entre o divino somos nós próprios. É certo que os deuses ouvem nossas orações, e recebem de bom grado as homenagens que fazemos em sua honra, mas como ouvi-los? Eu sempre me perguntava isso. Na verdade, todo mundo tem uma maneira efetiva de conversar com os deuses, mas muitas das vezes, tudo o que os deuses querem nos dizer é: nada. 

Há momentos em que precisamos de uma mensagem ou sinal divino, mas nem sempre os deuses vão sussurrar em nossos ouvidos. Heru-wer é um deus comunicativo, ele pode vir até você e lhe encher de sentimentos, pensamentos e lições, mas ele não ajuda a não ser que seja requisitado. Cada deus age de uma maneira diferente. Heru-wer é esperto, ele o deixa para resolver os seus problemas até o ponto de você não conseguir, aí ele intervem, te ajuda e o orienta para não cair no mesmo buraco, porque, na maioria das vezes, temos todas as ferramentas necessárias para resolver os nossos próprios problemas, e Netjer nos quer para usar essas habilidades que ele nos concedeu, e não para jogá-las fora. Mais do que nós, eles reconhecem o nosso potencial. Se você não as usa para se ajudar, porquê os deuses teriam de fazer o serviço para você? 

Acredito que nós nos sentimos separados demais do divino para fazermos perguntas relacionadas à reciprocidade divina. Talvez isto seja um reflexo da nossa cultura ocidental em achar que Deus está em um universo diferente olhando a gente se ferrar em meio a problemas sociais, desordens políticas, injustiças etc. O divino está intrinsecamente ligado ao Universo, eles fazem parte de tudo, mas não é responsabilidade deles o caos que nós mesmos causamos no mundo, e o papel de reverter esse caos é nosso. A responsabilidade é nossa. E sim, temos a ajuda divina para isso, principalmente de Heru-wer. Ele nos concede força e garra para tomarmos atitude sobre a nossa própria vida, nos dá coragem e inibe a covardia, e nos guia rumo ao verdadeiro propósito ao qual viemos aqui na Terra cumprir. 

sábado, 27 de agosto de 2016

30 Semanas de Heru-wer: Semana 30 - Alguma sugestão para aqueles que querem começar a estudar e prestar culto para essa deidade?

source
Em hotep.

Esta é a última das longas semanas de devoção à Heru-wer, e foi um privilégio muito grande escrever e refletir sobre Ele durante esse período. Meu Pai me pede para ter atenção e ser cuidadosa ao falar Dele, sobre minha religião e sobre mim mesma, e além dessa responsabilidade, tenho aprendido muito através desse projeto. Ele é exigente quando estou prestes a usar tanto palavras quanto ações, pois temos que lidar com as consequências que elas trazem.

Este é Heru-wer. Ele o faz olhar para a sua realidade, e o ensina a lidar com ela de modo que seja satisfatório para você. Heru-wer é a vida, e o ato de regozijar-se desse presente. Qualquer um que tenha interesse em conhecer Heru-wer, seja sincero e honesto consigo mesmo e com seu próximo. Ele é formal, e exige postura e respeito. Compreenda que Heru-wer é um Élder. Um deus que carrega grandes experiências, sábias palavras e uma presença forte, afável, e companheira. Ele não dispensa uma conversa ao lado de uma bebida forte. Ao cultuá-lo, presenteie-o com sua sinceridade, com suas palavras de poder e com a formalidade que um grande guerreiro merece. 

Em minha experiência pessoal, Ele é ótimo para ajudar com a falta de autoestima. Ele é ativo, dinâmico e contagiante. Espero que aproveite a companhia de Heru-wer, caso tenha interesse em conhecê-lo. Vale a pena. 

Senebty.

domingo, 21 de agosto de 2016

30 Semanas de Heru-Wer: Semana 29: Algum interesse ou experiência pessoal que gostaria de compartilhar?

Em Hotep a todos os leitores do Per Heru-Wer

Estamos em nossa penúltima semana e nessa, venho contar uma história tão emocionante para mim que quando lembro eu sinto uma força incrível...

A muitos anos, antes mesmo deu conhecer a Ortodoxia Kemetica, quando eu já cultuava deuses keméticos (ainda como Wicca e sem conhecer os nomes tradicionais dos deuses) eu estava passando por uma das fases mais difíceis da minha vida, mas que Heru-Wer me ajudou!
Quando eu tinha 19 anos, eu fiquei pela primeira vez com outra pessoa do mesmo sexo que eu, por já ser pagão eu não senti nada de errado, mas em mim algo cresceu, uma descoberta de quem eu era... Com isso vários outros preconceitos veio comigo, medos do futuro, medos de como a pessoas iriam me ver, se meus pais iriam me aceitar... Foi nesse momento sozinho em casa, acuado e com medo que eu senti algo perto de mim, sozinho olhei o escuro e senti Ele lá... Foi incrível porque o vi claramente na minha frente e com seus olhos penetrantes ele falou dentro de mim, com as palavras que jamais irei esquecer:
Meu filho, não precisa temer, se você estiver seguro consigo mesmo nada mais irá te abalar! Nada em você mudou, voce continua sendo o mesmo de sempre! A diferença é que você se conhece mais! Seguro de si não existe preconceitos ou rejeição que irá te abalar! Seja ético, firme e seguro sempre! Só assim irá se sobressair de todos os problemas! Orgulha se de quem você é!

Desde então tantas coisas mudaram dentro de mim...

Depois de longos anos, eu vi que o Horus que me visitou aquele dia era Heru-Wer e naquele exato momento que isso foi me revelado no RPD eu lembrei desse fato! Foi emocionante!

Senebty

sábado, 13 de agosto de 2016

30 semanas de Heru-wer: Semana 28 - Algo que você gostaria de saber sobre a deidade, mas ainda não sabe.

source

Em hotep!

Tenho pesquisado sobre Heru-wer, porém, não tenho o costume de analisar aquilo que sei ou não sobre uma divindade, e nem considero que estudar e analisar uma divindade seja a parte mais importante do processo - de cultuar os deuses, digo. Religião é mais sobre se religar e vivenciar do que se submeter a estudos e pesquisas. Mas, isso depende do compromisso de cada um com os deuses. E, claro, essa é só minha opinião.

Enfim, Heru-wer é uma divindade repleta de aspectos cultuados em várias partes de Kemet, e nunca tive um contato próximo com certos aspectos dele, de forma individual. Eu gostaria de conhecer mais sobre Heru-Behdety (Heru-wer na forma do disco solar alado), também sobre Heru-Shu - não sei muito sobre Ele, mas ele existe - e também sobre os outros Herus que foram cultuados na Núbia, por exemplo.

Existem apenas três Herus: Heru o Élder, Heru o Jovem, e Heru Vivo. Os outros deuses que levam 'heru' no nome vêm de algum desses três, e ainda não sinto que devo cultuar os aspectos de Heru o Élder individualmente, mas acho que seria uma experiência interessante...

sexta-feira, 5 de agosto de 2016

30 Semanas de Heru-Wer: Semana 27: O maior erro ou a pior ideia que já ouviu sobre Heru-Wer

Em Hotep

Ano novo, como foi forte essa virada de ano hein... E agora, estamos sendo regidos por dois deuses crianças, Dua Yinepu! Dua Khonsu! Em breve o Per Heru-Wer vai apresentar melhor esses dois netjeru. Aguardem...

Por hora, vamos falar sobre o maior erro ou a pior ideia que as pessoas têm sobre Heru-wer. Pois bem, o pior erro de todos é o desconhecimento que as pessoas têm sobre esse Netjeru, isso porque os gregos quando foram falar sobre nossos deuses juntaram todos os Heru, em um único Heru, o famoso Horus, isso criou uma confusão que é difícil desfazer depois de anos falando a mesma coisa (por muito tempo, os gregos, os romanos e os textos bíblicos eram as únicas obras escritas sobre os povos keméticos).

Qualquer pessoa que for pesquisar sobre Heru-wer ficará sem entender algumas coisas, isso porque nos textos históricos muita coisa é misturada, principalmente quando se trata de seu sobrinho Heru-Sa-Aset, que é quando os mitos se misturam completamente.

Com isso, podemos afirmar que o maior erro que as pessoas têm do Quebrador de Ossos é confundir ele com seu sobrinho. Vemos isso em vários lugares, até mesmo em textos de egiptólogos renomados. No entanto, um dos principais papéis desse blog é acabar com essa confusão! OK?! Então vamos lá desfazer esse nó..

Heru-Wer é um deus guerreiro, unicamente da guerra!

Heru-Sa-Aset é guerreiro? É, mas ele é uma divindade reinante, ele reina, ele é um Nisu.

Existem muitas outras diferenças entre esses dois incríveis netjeru, como iconografia, epítetos, energia, entre outros. Mas Heru-wer é uma divindade bem mais ancestral é assim mais madura (até mais carrancudo mesmo).
Quer saber diferenciar facilmente e não cair mais nessa falácia?
Eu, Hery, vou lhe ajudar!

Esse é Heru-Sa-Aset! Isso porque ele está com a dupla coroa, a coroa de Nisu
Já esse, tem a coroa branca, que representa o Alto Kemet, que tinha umas das suas principais cidades, a antiga Khem, que o deus dessa cidade era... Adivinha quem: Heru-Wer
A principal diferença é essa da coroa, Heru-wer representa o Alto Kemet, Heru-Sa-Aset é o príncipe que recebeu Kemet unificado, portando assim, a dupla coroa. Mas ai tem uma coisa interessante: Heru-Sa-Aset nunca é representado como completamente falcão, Ele sempre vai ser homem com cabeca de falcão. Já Heru-wer, só receber imagens de homem com cabeça de falcão bem posteriormente, assim, naturalmente, Heru-wer geralmente sera retratado como um falcão, podendo portar em sua cabeça as duas plumas, a coroa branca, nada ou até mesmo a dupla coroa (foi Narmer, rei do nomo Khem que unificou Kemet), mas nesse ultimo caso, sempre na forma de falcão.

Espero te ajudado a compreender essa diferença e espero que as pessoas não errem mais...

Feliz Wep Ronpet!
Senebty

quarta-feira, 27 de julho de 2016

Wep Ronpet: Como celebrar o Ano Novo?

As temporadas keméticas são: o verão, a inundação, e o crescimento daquilo que foi plantado. Este é o ciclo kemético que se renova e prospera através de festivais e ritos de purificação, renovação e concepção de ma'at pelos deuses por intermédio da líder da nação de Kemet. Não é exigido de nenhum membro celebrar cada único festival, porém festivais importantes como o Wep Ronpet merecem atenção.

Primeiro, os dias epagomenais, ou intercalares.

Eles não estão dentro, mas fora do ano kemético. São não-dias concedidos à Nut, desde que Ra havia amaldiçoado todos os dias do ano para que ela não concebesse Seus Filhos. Através de um jogo com Khonsu, o deus lunar, Djehuty conseguira cinco dias extras para que os cinco filhos de Nut nascessem. E eles são, Wesir, Heru-wer, Set, Aset e Nebthet, completando os grande nove deuses da Enéada de Iunu (Heliópolis, em grego).

Como qualquer aniversário, esses dias requerem celebração, e desde que estes não são dias comuns, coisas inusitadas podem acontecer. Pedir por proteção e auxílio durante o ano pode vir a calhar. Basicamente, estarei oferecendo vela e incenso para cada um deles, e isso é comumente feito no período do nascer do sol. Você pode criar um mini altar com uma tigela de ofertas e uma imagem da deidade, e qualquer outra oferenda, ou pode escrever uma carta para a cada deidade, mantê-las com você, queimando-as no Wep Ronpet.

source

O festival de ano novo se inicia com as lágrimas de Aset-Sopdet, chorando enlutada pelo seu marido perdido, e fazendo com que o Nilo se encha e mantenha uma população inteira viva através da dádiva que as águas de Khnum concede. Como parte de nossas celebrações, massacramos a serpente Apep para desfazer qualquer mal durante o ano, e como este é o início, o Zep Tepi, "beijamos a face de Ra" pela primeira vez, banhando-nos no brilho do sol.

Para os keméticos, o mundo acaba e renasce a cada dia, com o nascimento do Sol no horizonte. Os antigos entendiam que sem o Sol, não haveria vida, sustento, e nem claridade o suficiente para viver o cotidiano. Por isso, eles adoravam a majestade de Ra, que derrotava a serpente do mal sempre antes do amanhecer, mantendo a Criação sã e salva em toda a primeira vez.

Com o objetivo de louvar os deuses, o Zep Tepi, e dirigir o mal de mais um ano kemético para fora, fazemos várias atividades que nos colocam em harmonia com ma'at e com a comunidade kemética em si. É comum fazermos execrações, que seria literalmente destruir o isfet através de um pote de barro, um pedaço de papel ou um bolo assado em formato de cobra. Usar tinta vermelha para referir-se ao isfet é comum, utilizada para escrever tudo o que queremos execrar, e por fim, damos um fim nessas palavras fazendo riscos sobre elas, perfurando e rasgando o papel, triturando o pote de barro, ou literalmente decepando e comendo o bolo de serpente.

Como nossas casas tem a tendência de acumular energias desnecessárias, nos desfazemos de tudo aquilo que está em desuso, ou que sentimos que deve ter um destino próprio. Costumo limpar o meu quarto, meu altar e reconsagrá-lo. Parece um ato muito simples, mas é um heka poderoso para o Wep Ronpet, e os deuses apreciam seus espaços sendo limpos através dessa energia de Zep Tepi. Experimente limpar a si mesmo, seus maus hábitos, as coisas que precisam ser mudadas, e experimente trazer ma'at para a sua vida diária, e para a vida de outrem. Esse é um novo começo, e uma nova chance de (re)começar...

sábado, 23 de julho de 2016

30 Semanas de Heru-wer: Semana 26 - Como o seu relacionamento com essa deidade mudou ao longo do tempo?

source
Em minhas práticas anteriores, eu me identificava mais com Deusas e aspectos femininos do que deidades masculinas. Na Kemetic Orthodoxy foi o contrário. Os Deuses tomaram partida em me conhecer e entrar em contato comigo; e sentir a presença deles em meu culto pessoal foi um presente que me motivou a continuar louvando Netjer na minha vida diária.

Sinceramente, nunca senti uma conexão forte com Heru-wer, e eu não havia o contatado em nenhum momento antes de ser divinado, mesmo conhecendo suas teofanias e símbolos. Houve um momento que senti a presença dele e de Wesir antes da cerimônia em que estes estavam prestes a se apresentar para mim. E, ao saber que Ele era o meu Pai, tudo fez sentido. É como se ele estivesse há muito tempo na minha vida de uma maneira que eu não precisava perceber. A partir deste momento, eu soube a quem deveria prestar culto pelo resto da minha vida.

Heru-wer tem uma clara personalidade daquilo que eu não sou, mas que no fundo, é o que meu coração me diz para ser. Enquanto o tempo foi passando, Heru-wer pareceu aproximar-se aos poucos, e eu só fui sentir sua presença quando chamei seu auxílio para uma situação particular e complicada da minha vida, como se ele voasse ao meu resgate. Ele é um Pai muito atencioso e protetor, mas sinto que ele é muito rígido. Sua esposa, Heqat, tem feito presença ultimamente, seguida por Khnum, e através de ambos, sinto que Heru-wer está entre Eles, mais próximo de mim do que antes, e assim a vida segue.

segunda-feira, 18 de julho de 2016

30 Semanas de Heru-Wer: Semana 25 - Um momento em que a deidade te negou auxílio



Em Hotep a todos

Vamos para a nossa 25ª semana de culto com um tema bastante difícil e às vezes fácil de escrever. Deuses negam auxílio à seus filhos? Sim! Mas nada é por acaso!
Heru-Wer é um deus que exige de seus devotos uma conduta muito séria. Ele não é uma divindade de fazer nada para ninguém, ele é um Deus que está presente em seus momentos de dificuldade buscando te lembrar o quanto você é forte é capaz de superar todas as adversidades que a vida lhe impõe.
Lembra-se do Mito de Heru-Behdety quando ele clama à Ra para lhe ajudar e Ra lhe nega ajuda porque acreditava que Ele podia vencer o isfet sozinho? Pois é, é exatamente dessa forma que Ele trabalha, ele não faz por você, ele se afasta, te deixa sozinho par você enxergar o quanto é forte e o quanto pode! 
Os deuses não fazem nada do que nós mesmos podemos fazer!
São tantos momentos que experimentei a amargura de estar "sozinho", quando tive que provar pra mim mesmo que eu poderia e confesso a todos os leitores que isso é uma luta diária para mim: lutar para provar a mim mesmo que posso e que sou capaz! E sei que Heru-Wer está lá do céu a me olhar, distante mas extremamente próximo de mim dizendo: Vá filho, você pode vencer! Você é um guerreiro! Não desista!

Nekhtet!
Dua Heru-Wer o//

sexta-feira, 8 de julho de 2016

30 Semanas de Heru-wer: Semana 24 – Um momento em que essa deidade te ajudou



Em hotep.

Até hoje, nunca notei alguma divindade me ajudando diretamente. Os deuses interferem na vida das pessoas, mas creio que eles não chamam sempre a atenção da pessoa, necessariamente. Alguns conseguem sentir a divindade os ajudando em algo, através de sinais, emoções, ou coincidências... Quando uma divindade me chama a atenção, consigo sentir que ela não se importa em ter minha atenção, por exemplo, ela aprecia. "Ouvir" os deuses leva muito tempo, e vivência. E se eles não estão dizendo nada, é porque está tudo bem, e não há nada urgente que se precise saber.

Dito isto, Heru-wer me ajuda trazendo inspiração e força de vontade. Ele é bastante amigável, mas tem um semblante autoritário, durão. Mas ele é do bem. Quando estou orando para ele, sinto sua presença, um "estou aqui para te ajudar, meu filho". Porém, sinto que no momento existe outra divindade que está apta a me ajudar com questões diferentes, mas Heru-wer sempre está ao meu lado. É impossível eu, Kham, fazer uma lista de todas as coisas que os deuses me ajudaram. Eu sei que eles ajudam, e isso independe de qual delas me forneceu tal benção. A não ser que ela queira que eu saiba, claro.

Senebty

sexta-feira, 1 de julho de 2016

30 Semanas de Heru-Wer: Semana 23 – Uma composição autoral sobre a deidade

source
Eu chamo aquele que voa no alto do céu
Eu chamo o falcão de plumagem salpicada
Eu chamo o quebrador de ossos
Eu chamo Heru-Wer

Eu chamo aquele cujo olho direito brilha pela dia
Eu chamo aquele cujo olho esquerdo brilha a noite
Eu chamo aquele que tudo vê e tudo está sob seu controle
Eu chamo Heru-Wer

Eu chamo o senhor do terror
Eu chamo o general dos exércitos
Eu chamo o amado de Hethert
Eu chamo Heru-Wer

Eu chamo o filho de Geb e Nut
Eu chamo o pai de Ihy
Eu chamo o meu grande pai
Eu chamo Heru-Wer

Eu chamo o Destruidor do Isfet
Eu chamo A Grande Chama
Eu chamo o soldado de Maat
Eu chamo Heru-Wer

sábado, 25 de junho de 2016

30 Semanas de Heru-wer: Semana 22 - Uma citação, poema ou texto que te faz lembrar da deidade.

source
"Cause I wanna rise up now,
Don't wanna be earthbound,
Reach up to the sky,
Into the distance,
A new future,
It's waiting for me in your eyes..."

Esse é um trecho da música Looking for an angel, da Kylie Minogue, que me faz lembrar de Heru-wer :)

sábado, 18 de junho de 2016

30 Semanas de Heru-wer: Semana 21 – Uma música que te faz lembrar a deidade


Em Hotep a todos



A musica faz parte da história de Heru-wer (bem como o culto divino em toda a história kemética), ele é pai de Ihy, o jovem deus da música, então me fez pensar que uma boa oferenda a Ele, seria esse tipo de arte. Assim, a duas semanas estou a procura de músicas que me faz lembrar Heru-wer. Não sei porque, mas apesar de amar música, eu nunca escutei música que não seja Kemética, pensando em deuses kemeticos. Eu poderia muito bem ser obvio e apresentar-lhes diversas interpretações inspiradas no Antigo Kemet e dizer que essa musica me lembra Heru-wer, como a linda Song for War Horus and Sekhmet do CD Tears for Isis.

Mas não queria ser obvio, queria enxergar meu pai em todos os lugares, inclusive em obras que não foram dedicadas a ele mas que possuía sua energia.
Assim parti, escutando musicas que eu gosto e pensando, qual dessas faz eu senti Heru-wer perto de mim?
Eu gosto muito de Symphonic Metal, então fui procurar dentro do que eu gostava musicas que trouxesse alguma mensagem que tivesse haver com a energia Dele.
Hoje quando acordei coloquei uma música para tocar, senti uma força enquanto escutava, foi quando bateu uma curiosidade de ler a tradução e me deparei com isso:

Este presságio
nos engana
infortúnio une a todos nos

Quando parece que o mundo esta se fragmentando
Lembre-se que você define o seu curso
Quando parece que ninguém está respondendo
Reverta para a sua profunda força interior

Quando o sino começa a badalar

Juntos seremos fortes
Para desafiar tudo o que não pode nos derrubar
Unidos ficaremos fortes
Você não vai lutar sozinho

Este presságio
nos engana
infortúnio une a todos nos

Quando parecer que você está sempre cedendo
Certifique-se de retomar o controle
Quando você não consegue suportar o mundo estamos vivendo
Lembre-se que você não está sozinho

Como suas palavras são esculpidas na pedra

Juntos seremos fortes
Para desafiar tudo o que não pode nos derrubar
Unidos ficaremos fortes
Você não vai lutar sozinho
Não se afogue em um mar cheio de tristeza e dor
Unidos ficaremos fortes, aqui é onde você pertence

Seus anjos sussurrarão
Nada é o que parece ser
busque com o seu coração e você vai encontrar a chave
Você vai ver

Juntos seremos fortes
Para desafiar tudo o que não pode nos derrubar
Unidos ficaremos fortes
Você não vai lutar sozinho
Não se afogue em um mar cheio de tristeza e dor
Unidos ficaremos forte, aqui é onde você pertence

Este presságio
nos engana
infortúnio une a todos nos
Desastres
Nada pode nos derrubar
Não consegue nos vencer
Juntos nós continuaremos fortes
infortúnio
Você não vai lutar sozinho
não pode nos derrubar
Como um nos iremos superar
Tudo nos une na vida
Tudo miséria que enfrentamos na vida

Essa é a tradução da música Omen (The Ghoulish Malady) do Epica,  uma banda holandesa de metal sinfônico, fundada por Mark Jansen que utiliza vocal meio-soprano e gutural, e suas letras retratam o amor, o ódio, a agonia, a revolta, a cultura, a ciência, as religiões, temas filosóficos e o sentido da vida, enfim, uma banda a qual escuto muito. A música em questão é do álbum The Quantum Enigma. Vi o que a letra dessa música inspira força, união, coragem para vencer e lutar! Como se o próprio Heru-wer falasse comigo!
Pois Heru-wer é assim, Ele não luta por você, mas luta ao seu lado! Ele está sempre junto dos que clamam por Ele!
Além da letra em si que tem uma letra incrível, a própria melodia da música também inspira essa força, lembrando muitas vezes uma marcha de um exército!
Abaixo, temos essa incrível musica!



Espero que todos vocês possam gostar da música e conseguir se conectar ao sekhem (energia) de Heru-wer com essa música!


sexta-feira, 10 de junho de 2016

As 30 Semanas de Heru-wer: Semana 20 - Uma arte que representa a deidade para você.

Apesar de eu não ser muito ligado com Arte, seja ela antiga ou contemporânea, tenho descoberto recentemente uma imagem de três aspectos de Heru-wer que eram cultuados na Núbia, encontrada no Templo de Nefertari, em Abu Simbel. 

Confira-a logo abaixo:

fonte


Na imagem, Ramsés II (ankh udja seneb) apresenta ofertas para os três deuses Heru em suas formas cultuadas na Núbia; Heru de Aniba, Heru de Kuban e Heru de Buhen). 

Heru-wer se disseminou por várias partes de Kemet, e foi cultuado de diversas formas (como Heru-Behdety, em Edfu e Nekheny, em Hierakonpolis, por exemplo). Todos os três Heru's na imagem acima são aspectos de Heru, o Élder, que se propagou para a Alta e Baixa Núbia, representados com a coroa hedjet.

sexta-feira, 3 de junho de 2016

30 Semanas de Culto a Heru-wer: Semana 19 - Qual qualidade dessa deidade você mais admira? Qual aspecto dela você acha mais conflituoso?

Em Hotep a todos
Vamos para mais uma semana de culto a Heru-wer, e nessa semana temos uma pergunta um pouco mais filosófica de aspecto intimo com o seu devoto, no caso eu. Tentarei exlicar todos os motivos que me levaram a responder a essas questões.



Vamos com a primeira questão: Qual qualidade dessa deidade você mais admira?

Pois bem, a qualidade de Heru-wer que mais me admira e me inspira é a de guerreiro destemido que vai para uma guerra para ganhar... Heru-wer não conhece a derrota, ele sempre vence, mesmo quando as coisas estão difíceis... Isso trás várias questões como otimismo, força, coragem... Heru-wer inspira isso, ele mostra a seu devoto que ele pode tudo, que os problemas da vida são meros testes para você alcançar e merecer a vitória, ele mostra que os problemas e as dificuldades da vida não são a questão em si, mas como você lida com isso que é a questão. Heru-wer não admite vitimismos ou auto flagelação. Ele quer que você vá em frente, ande com suas próprias pernas, faça acontecer... Se é mais fácil para os outros não é porque os outros são melhores que você, mas é porque você é mais forte e é capaz de segurar um peso mais forte, você é capaz de mais do que imagina e esses problemas são para você enxergar suas próprias forças e limites.

Vamos a segunda questão: Qual aspecto dela você acha mais conflituoso?


Heru-wer é um deus muito direito, sem rodeios... É difícil acha-lo conflituoso em algo, porque simplesmente ele não é um deus de meio termos, com ele é no “preto no branco”. O mais conflituoso para mim não é o aspecto da divindade em si, mas a interpretação sobre ele que tiveram ao longo da história, confundindo-o com os outros Heru a qual Kemet cultuava. Assim, muitas coisas encontradas sobre ele na literatura é necessário uma filtragem muito grande para conseguir compreender "quem é Heru-wer". Como por exemplo, o fato de Heru-wer ser tratado como um deus guerreiro, mas também o deus do ar, O "Dourado Cujo Corpo é o Céu e Cujos Olhos são a Lua e o Sol". Não que esses dois aspectos seja conflituosos, nada disso, a questão é que alguns textos o trata apenas como deus do céu e outros como deus guerreiro. Isso trás uma confusão principalmente quando se trata de iconografia, pois ora ele esta com a coroa branca, ora ele está com a coroa dupla, ora ele esta com as duas plumas (iconografia mais antiga de Heru-wer) e ora ele está sem nada. Isso trás uma confusão muito grande para quem pesquisa sobre esse Deus.

Senebty

quinta-feira, 26 de maio de 2016

30 Semanas de Heru-wer: Semana 18 - Há alguma distinção de gênero e sexualidade no culto a essa deidade? Historicamente e gnose pessoal.

fonte

É difícil explorar a fundo como era o culto à Heru-wer na antiguidade, desde que eu não sou egiptólogo ou pesquisador da religião egípcia. Na antiguidade, creio que os keméticos se voltavam para os Nomes que mais se identificavam ou que precisavam do auxílio para determinada situação. Por exemplo, alguns Deuses incluindo Heru-wer eram honrados pelo rei e seus guerreiros para que os ajudassem nas batalhas, e outros eram louvados para questões de saúde para o bebê que estaria prestes a nascer, como Khnum, Taweret e Bes.

É compreensível que, na maioria, eram homens que se devotavam a Heru-wer, mas isso não era impedimento para que uma mulher prestasse culto a Ele, e nem mesmo os homens estavam privados de cultuar Hethert, Nome ligado a beleza e desejo sexual feminino, por exemplo. De alguma forma, os keméticos antigos sabiam que cultuar seus Deuses era mais importante do que quem iria cultuá-los. Os deuses não possuem rótulos como as embalagens de desodorante: for men, for women, unissex etc

Hoje, na Kemetic Orthodoxy, é visível que os Deuses não possuem uma preferência de sexo/gênero em relação aos seus devotos. E se eles tem esta ou qualquer outra preferência, isso não demonstra rejeição ou ódio para o devoto, e sim que os Deuses tem preferências como os humanos também possuem. Mas, existem filhos de Heru-wer de ambos os sexos e todos os gêneros. Na minha opinião, gênero/sexo não é uma grande preocupação para os Deuses, pois as pessoas são mais do que seus genitais e gostos sexuais.


quinta-feira, 19 de maio de 2016

30 Semanas de Heru-Wer: Semana 17 - Como Heru-wer se relaciona com outras divindades de outros panteões?

Como já foi dito diversas vezes durante as Semanas de Culto, Heru-wer é um deus guerreiro, das batalhas, lutas e disputas, fortemente ligado também aos ganhos financeiros, no entanto, seu principal arquétipo é a Guerra. No entanto, precisamos deixar claro que a rotulação de arquétipos para as divindades keméticas são dificilmente aplicáveis, pois eles, diferentemente de outras divindades como gregas e romanas, são deuses mutáveis. Ora são, 5000 anos de culto, a visão dos deuses e sua forma de culto muda com o tempo.

A partir disso podemos relacionar Heru-wer a diversas outras divindades guerreiras ao redor do mundo, podendo ser: na mitologia grega é Ares, na romana é Marte, na nórdica é Odin entre outras tantas divindades ligadas a guerra. No entanto, vamos nos limitar territorialmente em África (temos que ressaltar isso, Kemet e o Kemetismo são tradicionalmente africanos), nesse caso, fazer uma singela relação a um outro deus bastante conhecido, que também teve sua forma de culto modificada através do tempo. Iremos relacionar Heru-wer e Ogum, o deus da guerra Yoruba.
Assim como as divindades keméticas, as divindades yorubanas não são facilmente rotuladas ou limitadas em algum arquétipo, com Ogum isso não seria diferente. No entanto, sua postura de guerreiro é clara, assim como seu irmão de continente, o deus Heru-wer.

Primeiramente, vamos saber, quem é Ogum.
Ogum ou Ogulê (em iorubá: Ògún) é, na mitologia yorubá, o orixá ferreiro, senhor do ferro, da guerra, da agricultura e da tecnologia. O próprio Ogum forjava suas ferramentas, tanto para a caça, como para a agricultura e para a guerra. Na África, seu culto é restrito aos homens, e existiam templos em Ondo, Ekiti e Oyo. Era o filho mais velho de Oduduwa, o fundador de Ifé, representado materialmente e imaterial no candomblé através do assentamento sagrado denominado igba ogun. Ogum foi provavelmente a primeira divindade cultuada pelos povos yorubá da África Ocidental. Acredita-se que ele tenha wo ile sun, que significa "afundar na terra e não morrer", em um lugar chamado 'Ire-Ekiti'. É também chamado de Ògún, Ogoun, Gu, Ogun e Oggún. Sua primeira aparição na mitologia foi como um caçador chamado Tobe Ode.
A partir disso, vamos limitar o arquétipo em comum dessas duas divindades, o de guerreiro.
Essas duas divindades africanas, Heru-wer e Ogum, sempre são exaltados quando são assuntos de disputas, vitórias e ganhos. Deuses que abre os caminhos e vence as lutas, agindo pelo instinto para defender e proteger os mais fracos. Todas as lutas, as conquistas, as vitórias são presididas por essas duas divindades. O conceito de defensor dos mais fracos, lutas contra o mal, lutas contra o caos são bandeiras desses deuses.

Outra relação importante que podemos levantar entre Heru-wer e Ogum, são suas cônjuges. Esses dois deuses guerreiros foram casados ou tiveram um relacionamentos com deusas ligadas ao amor e a sedução: Heru-wer casado com Hethert e Ogum com Oxum. Mostrando que para os povos africanos, a Guerra sempre estava ligada ao amor e as paixões.
Ogum não é a única divindade Yorubana que pode ter relações com Heru-wer. Alguns também podem fazer uma relação também com Xango, senhor do fogo e o grande Rei de Nagô, no entanto, Heru-wer não tem uma ligação a instituição monárquica, para os Keméticos, a figura de legitimidade monárquica divina é Heru-As-Aset. Assim, Heru-wer é o Monarca Guerreiro, não o Monarca que governa.
Por fim, queremos ressaltar que não é intenção dessa matéria fazer uma espécie de sincretismo entre essas duas divindades, apesar de pertencerem a um mesmo continente, eles têm suas egrégoras distintas, possuem outros atributos e merecem ser cultuados de forma separada em respeito e honra a seus nomes e as suas energias.

Que todos os deuses da guerra, em especial Heru-wer e Ogum possam nos abençoar em nossas batalhas diárias!

Dua Heru-wer! o//
Ogunhê Ogum!

domingo, 10 de abril de 2016

30 Semanas de Heru-wer: Semana 16 - Como você pensa que essa deidade representa os valores de seu panteão?

Semana 16 – Como você pensa que essa deidade representa os valores de seu panteão?

Na Ortodoxia Kemética, os deuses provém de uma força divina chamada Netjer, quem possui vários Nomes para relacionar com seus filhos de uma forma mais próxima e compreensível. Logo, fica claro que Netjer ama a sua Criação e tem interesse em se relacionar com ela. Os Nomes (aspectos de Netjer) são essencialmente fraternos, compreensíveis, atenciosos e cuidadosos. Através da Nisut (AUS!), ma'at transita entre a comunidade e os Deuses, e assim a Ortodoxia Kemética se estabelece, fortalecendo a interação entre os pilares.

Tendo isso em mente, conseguimos compreender o papel dos deuses keméticos e como eles e seus devotos interagem entre si. Heru-wer, como todos os outros Nomes, defende e luta por Ma'at, pela ordem do universo, pelo equilíbrio dos processos naturais e pela justiça divina. Os deuses possuem gostos, personalidades e características próprias, mas o papel de sempre estar ao lado de Ma'at é dever de todos Eles – e também é esperado que seja o nosso.

O panteão kemético, dentro da Ortodoxia Kemética, é muito próximo das pessoas da fé. Particularmente, eu não tenho uma incrível comunicação com os deuses, mas sinto que eles me dão atenção, cuidam de mim e querem me ver bem, da mesma forma que Heru-wer faz. Mesmo não tendo uma forte relação – ainda – com Ele.


Os Netjeru só não tem um papel importante dentro da comunidade, como também fazem parte dela, interagindo ativamente, concedendo-nos suas bençãos e atenção, ao mesmo tempo que fazem parte de nossas vidas diárias. Eu, todos os dias, tenho um tempo para conversar com os meus Deuses. Eles são maravilhosos, e é uma honra estar junto de sua presença. Por isso considero os deuses como parte de minha família. Alguns ainda não me aproximei, outros estão afastados e outros são mais próximos, e tudo continua bem.  

quarta-feira, 23 de março de 2016

30 Semanas de Heru-wer: Semana 15 - Há alguma prática mundana ligada a essa divindade?

O Corpo de um Guerreiro de Heru-wer 

 Ter um corpo desleixado, marcado por exageros é isfet, pois isso atrai doenças além de impedir que seu corpo esteja preparado para ações do dia-a-dia. Essas práticas de exagero tem que ser abandonadas ao se adotar um culto a esse deus guerreiro, que exige que ficamos sempre alerta, dispostos e prontos para as batalhas diárias.
Os filhos de Heru-wer também costumam ter uma preocupação maior com o corpo, procurando ter um corpo forte e saudável. As vezes essa preocupação é ligada a força física, a exercícios físicos e ate mesmo a musculação, outras vezes essa preocupação pode estar ligada mais a uma alimentação equilibrada.
General Horemheb - Série TUT

Como já foi citado diversas vezes, Heru-wer é um Deus guerreiro, muito ligado a vitória do bem sobre o mal, a vitória sobre as forças do isfet. Uma forma de culto a essa divindade nos tempos atuais seria o cuidar do próprio corpo, o deixando forte, poderoso e saudável.
Nas imagens da antiguidade kemética, os Deuses, os Nisut's e até mesmo os homens são na maioria das vezes retratados com um corpo saudável, forte e másculos, mostrando assim a preocupação que os antigos tinham com o corpo.
Para os homens, Heru-wer trabalha no campo do Sagrado Masculino com a divinizando o corpo, onde tornar-se um guerreiro está muito além duma personalidade, é também um cuidado com o físico, um equilíbrio perfeito entre espirito, mente e corpo. A musculação e o cuidado com o corpo em geral é um dos assuntos mais discutidos atualmente no mundo, já que o porcentual de obesos e assim doenças causadas pela obesidade estão em níveis alarmantes, cuidar do próprio corpo é algo necessário. Não é apenas um apelo vulgar de vaidade (vaidade também é isfet) mas é um apelo a saúde!
A vida de um soldado kemético antigo não era nada fácil. Eles tinham uma vida regada de muitos treinamentos, sendo eles na sua maior parte exercícios físicos rigorosos, bem como uma disciplina extrema.
Para enfrentar a guerra diária, precisamos nos tornar fortes e saldáveis, tanto o Ka que é o espirito quanto o Khat que é o corpo precisam ser trabalhados. E é nesse trabalho de cuidar do Khat que Heru-wer pode ajudar, pois esse Deus exige disciplina, força, coragem e determinação, todos os dons necessários para se trabalhar o corpo.
Heru-wer não pede que nos tornamos um praticante de bodybuilding, pois lembrando: exageros é isfet. Ele nos pede apenas para mantermos nosso corpo saudável. Encarnar a figura de um guerreiro tanto no campo mental, espiritual e corporal. . Isso significa muito mais do que ter um corpo musculoso, ter um corpo saudável não é ter um corpo sarado, ter um corpo saudável é saber alimentar-se direito, ter uma vida ativa, fazer exercícios físicos regularmente entre outras praticas de vida saudável.
Ter um corpo de um guerreiro também pode ser uma forma de honra-lo e cultua-lo, sendo uma forma de dize-lo: quero ser um soldado de Heru-wer, quero estar pronto para guerra e Heru-wer é meu General!



terça-feira, 15 de março de 2016

A Nisut (AUS) na Ortodoxia Kemética e uma exclusiva Entrevista

Em Hotep a todos. Nessa postagem iremos falar um pouco sobre um importante Pilar da Ortodoxia Kemética, a pessoa da Nisut, e sobre o que ela representa para todos os praticantes dessa religião. Também iremos trazer com exclusividade uma pequena entrevista feita por e-mail com Ela no dia 14 de Março de 2016.
Rev. Tamara L. Siuda

Quem é Tamara L. Siuda?
Tamara L. Siuda (nascida em 1969) é uma Egiptóloga formada pela Oriental Institute of the University of Chicago e autora de livros de não-ficção, históricos e religiosos. Ela é também a fundadora e líder espiritual atual da Ortodoxia Kemética no Templo House of Netjer, e desde julho de 2000, ela é uma sacerdotisa iniciada (ou mambo) em Vodu haitiano.

O que é ser Nisut na Ortodoxia Kemética?
A Ortodoxia Kemética é mais do que uma fé: é uma comunidade, uma cultura e um modo de vida, forjados e unidos sob a liderança de uma mulher notável. Seu nome de nascimento é Tamara L. Siuda, embora o povo da Ortodoxia Kemética a conhece como sua santidade, a Nisut Sekhenet-Ma'at-Ra Hekatawy, ou simplesmente e carinhosamente como Hemet (uma palavra antiga traduzindo quer como "majestade" ou " possuidor de caráter "). A crença e reconhecimento da Nisut é um Pilar da Ortodoxia Kemética.

Nisut-Bity (ou Nisut-bityt no feminino), às vezes traduzido como "soberana, governante", mas, literalmente, "Ele (a) do junho e da abelha", é o antigo título de uma pessoa, por vezes chamado de "Faraó". Hoje, como na antiguidade, a nossa Nisut é a líder espiritual e cultural de nossa nação Ortodoxa Kemética. Após a coroação, a Nisut foi confiada de realizar a vontade de Netjer e atua como uma ponte física e espiritual entre o fiel e aos deuses e deusas. A atual Nisut-bityt (muitas vezes abreviado para "Nisut"), é reconhecida pela Ortodoxia Kemética como a encarnação atual do Ka Real, ou o espírito investido de Heru, o conceito divino Kemetico de encarnado de direitos autorais em sua Nisutiu. Após a coroação no Egito em 1996, nossa Nisut recebeu nomes Kemeticos confiando-lhe a responsabilidade espiritual para definir o curso de sua missão dentro da Religião Ortodoxa Kemetica. Anterior a 1996, Rev. Tamara agiu como nossa fundadora e principal sacerdotisa, sem as responsabilidades adicionais de Nisut, mas ela foi para o Egito no outono para assumir a coroação e seus requisitos, a pedido dos deuses.

Nós não acreditamos (ou ensinamos que) a Rev. Tamara é uma deusa, nem é pedido na Ortodoxia Kemética para adorá-la como tal. No entanto, a respeitamos e a reverenciamos como nossa fundadora, líder espiritual, e soberana, assim como pessoas de outras religiões e países monárquicos respeitam e reverenciam seus líderes espirituais e/ou chefes de Estado; a reconhecemos que seu estabelecimento no trono, foi feito de acordo com antigo costume e que ela é a possuidora de vida atual de Heru, o Ka Real.

AUS?
Ankh, Udjat, Seneb

É costume de todos os praticantes da fé, ao citar a pessoa da Nisut na forma escrita, sauda-la com AUS, abreviação que de “Ankh, Udjat, Seneb” (ahnkh ood-JAH zen-EB) que significa “Vida, Prosperidade e Saúde”, saudação essa semelhante dada a outros monarcas como “Vida Longa a Rainha” ou “Deus salve a Rainha”.

Entrevista

Encerramos esse artigo com uma EXCLUSIVA entrevista feita por mim, HeryHeru com Sua Santidade, a Nisut Hekatawy I (AUS) (que sempre é muito amorosa em suas respostas), esperamos que todos possam apreciar suas palavras:

HeryHeru: O que é ser Nisut na Ortodoxia Kemética?
Nisut Hekatawy I (AUS): Ser a Nisut da Ortodoxia Kemética é a minha honra. Não é um trabalho fácil, o que levou muitos anos para que pudéssemos trabalhar juntos para alcançar as coisas que temos sido capazes de alcançar. Mas é um bom trabalho e ele sempre me faz feliz em saber que o que trabalho e o que fazemos juntos traz as pessoas para os nossos deuses que tanto amamos. Eu também sou abençoada por todos os sacerdotes que estão comigo nesse trabalho.

HeryHeru: Poderia nos falar um pouco sobre seu relacionamento com Heru-wer?
Nisut Hekatawy I (AUS): Eu tenho uma prática pessoal para Heru-wer. Ele foi um dos primeiros dos nossos deuses que eu conheci. Eu o conheço desde que eu era uma criança, e Ele sempre teve um lugar especial nos meus altares. Atualmente tenho um santuário para Ele ao lado do santuário oficial do Estado que guardo em minha casa, e eu pus muitos presentes para ele em seu altar em Tawy House.

HeryHeru: Poderia nos deixar uma mensagem para todos os praticantes da Ortodoxia Kemética brasileiros?
Nisut Hekatawy I (AUS): Fico muito feliz em saber que existem tantos brasileiros que estão interessados ​​em nossos deuses e na Ortodoxia Kemética. A cada classe de iniciantes temos mais e mais pessoas brasileiras se juntando e pedindo para participar, mesmo as pessoas que não falam Inglês. Sinto-me humilde por estar trabalhando no meu melhor para aprender Português para que eu possa comunicar melhor com vocês e trabalhar mais com todos vocês diretamente. Eu também estou ansiosa para que um dia eu possa ir ao Brasil, ensiná-los, visita-los e adorar (os Deuses) com vocês.

Muito obrigado!

Muito amor,

(Hekatawy) I

sexta-feira, 4 de março de 2016

30 Semanas de Heru-wer: Semanas 13 e 14

Semanas 13 e 14 - Quais questões contemporâneas estão mais próximas à essência da divindade? A forma de Seu culto mudou na contemporaneidade? 

Em hotep.

Eu e meu irmão HeryHeru decidimos juntar essas duas semanas numa única postagem, por ambas fazerem um paralelo com a atualidade. Então, comecemos a discutir a semana treze.

Tenho em mente alguns pensamentos sobre a política atual do Brasil e como ela se relaciona com o aspecto autoritário, porém honesto, de Heru-wer. Infelizmente, existe uma perceptível desunião entre o povo brasileiro e seus líderes, atualmente. Além disso, o país está enfrentando uma crise econômica difícil de engolir, afetando o bolso de todo mundo. 

Kemet também passou por crises políticas, e até existem textos sobre o suicídio, o grande nível de pobreza e a escassez relatadas naquele período. A política passa por problemas; nem ela está imune de dificuldades, porém sabemos que a corrupção em nosso país corre solta, e ninguém consegue ver com clareza para onde vai o dinheiro dos nossos impostos. Não vemos retorno. De cara, já sabemos que não é uma simples dificuldade. São políticos contribuindo com Apep mesmo. Heru-wer não é um Nisut como Seu irmão Wesir foi (no mundo visto), mas Ele possui atributos que podem se encaixar muito bem aqui, politicamente. 

A autoridade, desequilibrada com a compaixão e humildade, gera ignorância e egocentrismo. Heru-wer é a autoridade seguida de honestidade e razão. Ele é uma divindade inteligente, e sabe liderar de forma justa. Chamá-lo é trazer força e determinação nos períodos de escassez e miséria. Mesmo que Ele não tenha sido um Nisut, Heru-wer é o próprio ofício do Nisut junto de seu irmão Set, quem equilibra e une o povo para o país frutificar.

Set (à esquerda) e Heru-wer (direita) coroando Ramsés II (AUS!)
fonte

Nossa cultura, infelizmente, não contribui para pessoas honestas e equilibradas. Nosso povo ou não desenvolve, ou demora para desenvolver capacidades de compaixão com o próximo, e até mesmo consigo mesmo. A compaixão de Heru-wer existe, mesmo que ele seja um líder nato, ele é capaz dar ao povo o que ele precisa, e não o que quer. Conhece aquela historinha do pão e circo? Quando os políticos nos dão um carnaval bem legal e nos faz esquecer que temos que ir de madrugada para marcar uma consulta médica, por exemplo? 

Sobre o culto de Heru-wer, infelizmente não tenho muitas informações sobre como foi no passado. Em Kemet, os Netjeru costumavam receber oferendas, procissões e seus devotos os incorporavam, concedendo mensagens e conselhos para os devotos. Heru-wer foi bastante cultuado em um dos importantes festivais de Kemet, o Festival da Bela Reunião, junto de sua esposa Hethert. Hoje, esse festival também é celebrado, mas não com tanta elaboração como na antiguidade com grande número de pessoas em Edfu. As tradições permanecem, da forma como foi em Kemet (mais formal) e também de forma pessoal, que varia de pessoa para pessoa.

Particularmente, meu culto à Heru-wer é bastante simples. Eu lhe dou ofertas, converso com ele pela manhã e costumo tê-lo em meus pensamentos durante o dia. Até ao escovar os dentes eu me pego orando para Ele, ou meus Amados. 

Heru-wer tem suas ofertas de preferência, também, mas tudo que é feito com dedicação e amor, tanto ele como qualquer outra divindade, é bem-vindo.

Senebty.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2016

30 semanas de Heru-wer: Semana 12 - Lugares associados à Heru-wer e seu culto

Em hotep!

Esta é a semana 12 das “30 Semanas de Heru-wer”, onde irei abordar os lugares associados à Heru, e sobre o seu culto. Espero que aproveitem as informações que se encontram ao longo dessa postagem, e que ela  sirva de esboço para pesquisas posteriores, se preferir. Dua Heru-wer!

Na antiga Kemet, Heru-wer e suas diversas formas foram bastante cultuadas, tanto na Alta quanto na Baixa Kemet. Seus centros de culto incluem Nekhen (Hieracômpolis, Edfu, Khem (Letopolis), Pe (Buto) e Kom Ombo.

Nekhen se encontra no Alto Egito, próxima ao Nilo. Sendo originalmente o centro de culto da deidade-falcão Nekheny, esta havia sido identificada com Heru-wer, Deus para quem foi construído um dos templos mais antigos de Kemet, no local. Mesmo com o maior templo dedicado a Heru em Edfu, Nekhen teve grande importância na história egípcia, sendo a cidade de onde veio o primeiro governante (Nisut) de Kemet.

Edfu, por Tour Egypt

Próxima à Nekhen, temos Edfu, que significa "Lugar Onde Heru É Exaltado". Temos nessa cidade um dos maiores templos de Kemet, dedicado a Heru-wer (em sua forma de Heru-Behdety). Seu templo foi o primeiro construído pelos Ptolomeus, que já haviam construído também o Templo de Ísis, em Philae, o Templo de Hathor, em Dendera, entre outros. A importância que os governantes davam á guerra no período ptolomaico pode justificar a construção desses grandes templos para Heru-wer.

Não tenho muitas informações sobre Khem, mas essa cidade fica no Baixo Egito, tendo sido o centro de culto de Khenty-irty (ou Khenty-khem), uma forma de Heru-wer, desde o início do Império Antigo.

Em Buto, no Baixo Egito (homóloga à Nekhen), havia um santuário para Heru-wer, que mais tarde ficou relacionado com Aset. Antes de ter o nome Buto, essa cidade era dividida em Pe (local onde era prestado culto a Heru) e Dep. Juntas, as cidades eram conhecidas por Per-Wadjet (Casa de Wadjet), Deusa-cobra patrona do Delta.

Em Kom Ombo (Nubt, em kemético), não só Heru-wer foi cultuado, como também Sobek e Hethert, junto de seu filho Khonsu. Além dessa tríade, Heru-wer formava outra como marido de Tasenetnofret (uma forma de Hethert no papel de esposa divina), tendo Panebtawy (Senhor das Duas Terras) como filho. O templo era dividido para Sobek e Heru-wer, onde a parte direita era do deus crocodilo, e a esquerda para o deus falcão.

Heru-wer foi cultuado desde o período pré-dinástico, e seu culto ganhou força através de suas diversas formas em várias partes do Egito. Sendo uma divindade muito popular, foram encontrados variados amuletos em forma de falcão, e Heru-wer não só era um deus associado com o céu e a realeza, mas também foi considerado um médico, tendo poderes curativos. Seu culto conseguiu chegar até nos antigos cristãos coptas, depois de longos períodos da história egípcia.

Referências:
Heru-wer, Wepwawet Wiki. Disponível em <http://www.wepwawet.org/wiki/index.php?title=Heru-wer> Acesso em 14, fevereiro de 2016

Tour Egypt, Marie Parsons. Disponível em <http://www.touregypt.net/featurestories/hierakonpolis.htm> Acesso em 14, fevereiro de 2016

Tour Egypt, Marie Parsons. Disponível em <http://www.touregypt.net/featurestories/edfu.htm> Acesso em 14, fevereiro de 2016

Tour Egypt, Jimmy Dunn. Disponível em <http://www.touregypt.net/featurestories/buto.htm> Acesso em 14, fevereiro de 2016

Tour Egypt, Egyptian Government. Disponível em <http://www.touregypt.net/featurestories/komombo.htm> Acesso em 14, fevereiro de 2016

Tour Egypt, Jimmy Dunn (Mark Andrews). Disponível em <http://www.touregypt.net/featurestories/komombo2.htm> Acesso em 14, fevereiro de 2016