terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Horus


Ola pessoal!
Ofereço hoje aqui um Texto de um dos escritores que mais aprecio Christian Jacq, esse texto se encontra no livro "O mundo mágico do Antigo Egito” é um ótimo livro, onde tem vários ensinamentos.
Christian Jacq é um historiador que pesquisa sobre o Egito Antigo, no caso ele é Egiptólogo, uma coisa que me chama bastante atenção nesse livro é que logo no começo ele diz "Um egiptólogo que não creia na religião egípcia, que não partilhe uma simpatia absoluta com a civilização que estuda, não pode, na nossa opinião, pronunciar mais do que palavras sem vida. O intelectualismo, por mais brilhante que seja, jamais substituiu o sentimento vivido, mesmo numa disciplina científica. Os maiores sábios são aqueles que participam do mistério do Universo e tentam exprimi-lo por meio de sua visão do Conhecimento, amadurecida ano após ano.
Sendo isto verdade para ciências como a física, como demonstraram Eisenberg, Einstein e tantos outros, será fácil compreender que o Antigo Egito reclame, da parte de quem o estuda, uma atitude bem diversa do raciocínio glacial e do “distanciamento” histórico."

O que acredito eu ser de extrema verdade.

Posto hoje esse Texto por ser um texto muito intrigante, um texto que ate a poucas horas desse poste eu ainda n tinha lido, o que para mim, foi uma extrema surpresa e também confirmação de meu caminho.

Esperem que gostem...

_______________________________________

Horus

Os deuses-magos são concebidos como panteicos, ou seja, como uma potência “acompanhada pelos seus poderes decompostos sob forma visível, analisados e justapostos, de alguma maneira, à imagem do deus que os contém”. Além disso, o deus-mago maneja os instrumentos do seu poder, tal como os cetros, e usa coroas. Essas divindades complexas, estimadas pelos papiros tardios, passaram aos talismãs da Idade Média ocidental, prolongando desse modo a influência da magia egípcia.
Na origem, o mago identificado com Hórus recebe a proteção do céu e da terra contra qualquer morto ou qualquer morta, ao sul, ao norte, a leste e a oeste. De fato, as palavras de Hórus têm um poder protetor excepcional: afastam a morte, voltam a dar o sopro vital ao oprimido, renovam a vida, alongam os anos, apagam o fogo, curam a vítima do veneno, salvam o homem de um destino funesto. A magia de Hórus desvia as flechas do alvo, apazigua a cólera do coração do ser angustiado. Thot, mestre dos magos, glorifica Hórus sobre a água e sobre a terra. Saúda-o, a ele que foi trazido pela vaca divina, aquele que Ísis pôs no mundo. Pronunciou-lhe o nome, recitou-lhe a magia, conjurou com os seus esconjuros, utilizou o poder que lhe vem da boca.
Hórus, filho e herdeiro por excelência, touro, filho do touro e da vaca celeste, que possui sentenças eficazes, palavras poderosas transmitidas por seu pai, a Terra, e sua mãe, o Céu, é invocado para que impeça a ação dos répteis que estão no céu, na terra e na água, os leões do deserto, os crocodilos do rio. Esses seres nocivos serão reduzidos ao estado de pedras do deserto ou de cacos de vasos quebrados.
Quando Ísis vem ver Hórus, ensina-lhe que ele é seu filho na região celeste. Saído do Oceano das origens, manifesta-se sob a forma da grande garça-real nascida no cimo de um salgueiro, em Heliópolis, irmão de um peixe profeta que anuncia os acontecimentos futuros. Foi nutrido por um gato na casa de Neit, patrona da tecelagem. Foi protegido por uma porca e um anão. Como se vê, tudo é mágico nesta educação divina.
Cada parte do corpo de Hórus é animada magicamente, de modo a ser totalmente penetrado pelas forças do Alto e preencher as suas funções: abater os inimigos do pai, vencer Seth, o rebelde, reinar nos quatro pontos cardeais. Protetor da realeza, Hórus desempenha um papel capital de deus que cura. E visto espezinhando crocodilos, segurando escorpiões e insetos perigosos na mão, provando assim que nada tem a temer de criaturas que causam a morte. Outra função fundamental do deus: a de pastor. Hórus, o vaqueiro, guardava o seu rebanho, mas este foi ameaçado por animais selvagens. Ísis e Néftis intervieram, confeccionando amuletos. Assim foram fechadas as bocas dos leões e das hienas. Hórus expulsa-os pela magia, retira-lhes a força, provoca-lhes a cegueira.
Identificado com o deus pastor, o mago exige que os animais ferozes se dispersem pelos quatro pontos cardeais. O céu abre-se, libertando influências benéficas para o camponês, que desse modo goza da totalidade do seu domínio em completa segurança. Nenhum ser maléfico se aproximará do seu campo.
Na XVIII dinastia, surgiu Ched, o Salvador, uma curiosa figura que protege contra animais e insetos perigosos. Ched é um jovem que mata com as suas flechas os animais perigosos ou os agarra pela cauda. Na época mais tardia, confunde-se com Hórus criança. Nas estelas é representado em cima de dois crocodilos, uma máscara de Bés por cima da cabeça, cercado de fórmulas mágicas. Esses monumentos, uns modestos, outros grandiosos, são verdadeiros talismãs que garantem a segurança do Estado.

segunda-feira, 18 de janeiro de 2010

Brilha e queima

Um poema para Imbolc

Brilha e queima


Versão original: Diane Stein
Tradução livre: Luazul


A noite se ilumina com velas brancas
A escuridão torna-se luz
Tudo muda, tudo gira
É a festa das chamas
Fogo do coração e da mente
Cintilando faíscas
Que dançam no ar
Nos aquecemos com inspiração
Nós derretemos em inocência
A neve do desejo
Brilha por todos nós
Queima dentro de nós
O calor da espiral da vida
O fogo se cria novamente
Brilhando em todos nós
Queimando dentro de nós
Acordar e levantar é uma necessidade
Brilha por todos nós
Queima dentro de nós

quarta-feira, 6 de janeiro de 2010

“Aquele que dura milhares de anos”

Esse é um texto ao qual quero marcar minha volta ao seus poste do Simaltar...
Esse texto é extremamente especial para mim, ele é o texto de contra-capa do meu livro das sombras, e passa a pessoa que o lê muita energia, pois ele é um ativador de energia muito alta. Como se esse texto fizesse uma afirmação, uma afirmação de um poder e da proteção divina...

Que os Deuses iluminem todos
Que Isis, Osíris e Horus nos ensinem a mudança e a transformação da vida...



Não há em mim nenhum membro que seja privado de Deus e Thot é a proteção do meu corpo a minha carne esta na plenitude da vida em cada dia.
“Aquele que dura milhares de anos” é o meu nome, caminho em todos os sentidos no céu e na terra, o temor que eu inspiro reina das entranhas dos Deuses.

a
Lições e Despertar não só do mago, propriamente dito mais de uma maga, de um bruxo, de uma bruxa ou qualquer um que queira viver a bela vida que a Magia lhe proporciona.

Despertar dos Magos

1ª Lição - Existe um mago dentro de todos nós. Esse mago tudo vê e tudo sabe. O mago está além dos opostos da luz e das trevas, do bem e do mal, do prazer e da dor. Tudo o que o mago vê tem suas raízes no mundo invisível. A natureza reflete o estado de alma do mago. O Corpo e a mente podem adormecer, mas o mago está sempre desperto. O Mago possui o segredo da imortalidade.
2ª Lição - A volta da magia só pode acontecer com o retorno da inocência. A essência do mago é a transformação.
3ª Lição - O Mago observa o mundo ir e vir, mas sua alma habita as esferas de luz. Seu corpo é apenas o lugar que suasmemórias chamam de lar.
4ª Lição - Quem sou eu? É a única pergunta que vale a pena
ser feita e a única que jamais é respondida. É seu destino desempenhar uma série de papéis, mas esses papéis não é você.
5ª Lição - Os Magos não acreditam na morte. A luz da consciência, tudo está vivo. Não existem inícios ou fins. As moléculas se dissolvem e se extinguem, mas a consciência sobrevive à morte da matéria na qual ela viaja.
6ª Lição - A consciência do mago existe em toda parte.
7ª Lição - Quando a sua percepção for purificada, você começará a enxergar o mundo invisível, o mundo do Mago. Purificar-se consiste em livrar-se das toxinas da sua vida: emoções tóxicas, pensamentos tóxicos e relacionamentos tóxicos.
8ª Lição - O Poder do mago é o poder do amor, todos osoutros poderes são destrutivos.
9ª Lição - O Mago vive num estado de conhecimento. Esse conhecimento é sua própria realização.
10ª Lição - Todos temos um eu-sombra que é parte de nossa realidade total, quando a sombra é curada se transforma em amor.
11ª Lição - O Mago é mestre na transformação, em busca da perfeição.
12ª Lição - A Sabedoria está viva, a incerteza que você sente interiormente é a porta de entrada para a sabedoria.
13ª Lição - A realidade de sua experiência é uma imagem especular dos seus pensamentos e expectativas.
14ª Lição - Os magos não lamentam as perdas, porque a única
coisa que pode ser perdida é o irreal.
15ª Lição - O amor é mais que uma emoção, é uma força da natureza e, portanto tem que conter a verdade. O amor mais puro está onde é menos esperado, no desapego.
16ª Lição - Existem infinitas esferas de consciência, o mago sabe que existe simultaneamente em todas.
17ª Lição - Os buscadores nunca se perdem, pois recebem continuamente orientações espirituais que as pessoas chamam de coincidências. Não existem coincidências para os magos, cada acontecimento revela um plano espiritual Divino.
18ª Lição - A imortalidade da alma deve ser vivida hoje na mortalidade do corpo. O Mago tem consciência da batalha entre o ego e o espírito, mas sabe que ambos são imortais.
19ª Lição - Os magos não condenam os desejos, sabe que são sementes para germinar. Ensinam que você deve acalentar os desejos do seu coração por mais triviais que sejam, pois o conduzirão a Deus.
20ª Lição - O Maior bem que você pode fazer ao mundo é tornar-se um mago.