sexta-feira, 9 de agosto de 2013

Tatuagens Egipcias (Egyptian Tattoo)




Gosto muito de tatuagens, acho uma arte belíssima que me atrai bastante, e movida por esse interesse, eu venho aqui fazer uma postagem sobre a história da tatuagem no Egito Antigo, além de o resultado (ainda não concluído) de uma busca por tatuagens inspiradas no Egito Antigo.
Já possuo uma tatuagem inspirada no Egito, conforme foto acima, eu tenho uma Ankh ao qual tatuei logo quando entrei na universidade, em 2008, e sou completamente apaixonado nela. Agora em 2013, eu finalmente me formo, e para marcar novamente essa nova fase, pretendo fazer uma nova tatuagem, dessa vez, irei tatuar Heru-Wer em sua forma de Heru-Behdety, conforme imagem abaixo.


A Tatuagem no Egito Antigo:


Vida de início egípcios (2160-1994 aC), Médio Império
Muitas culturas tradicionais também usam tatuagens no corpo como uma espécie de passaporte para o mundo após a morte, embora, curiosamente, com toda a ênfase sobre o próximo mundo na antiga cultura egípcia, não há nenhuma indicação de que este era o caso ali.
Egito é geralmente aceita como o berço da arte da tatuagem e as tatuagens do Médio Império parecem ter sido popular e culturalmente aceitável.



2.000 aC a 3.000 aC
Várias múmias foram recuperados sendo da dinastia XI (2160-1994 aC), que exibem formas de arte da tatuagem. Uma das mais famosas dessas primeiras múmias é de Amunet, uma sacerdotisa da deusa Hethert, que foi encontrado em Tebas. Esta múmia feminina exibidas várias linhas e pontos tatuados sobre seu corpo. Os padrões de tatuagem e marcas ainda eram claramente visíveis em sua pele.
Várias outras múmias femininas desse período mostram tatuagens semelhantes, além de cicatrizes (cicatrização), que ainda é popular hoje em algumas partes da África em toda a parte inferior do abdômen ornamental. A série de pontos e traços realizada de proteção e fertilidade significado promovendo. As pastilhas estão ligados ao poder feminino primordial do universo - a maternidade.

 As razões tradicionais para tatuagem incluem:
• para se conectar com o Divino.
• como um tributo ou ato de sacrifício a uma divindade.
• como um talismã, um amuleto permanente, que não pode ser perdida.
• fornecer proteção mágica ou médica. Certamente, o conexão entre tatuagens e o divino existia no antigo Egito.
Dançarina com Bés tatuado na perna



Além dos desenhos geométricos que foram favorecidos, outros projetos foram descobertos, descobriram que estavam intrinsecamente ligado à religião. Múmias que datam de aproximadamente 1300 aC são tatuados com pictogramas simbolizando Nit, uma divindade feminina proeminente com uma tendência militarista. Estas são as únicas tatuagens que neste momento parecem ter uma ligação com os portadores masculinos.

O Deus Bes
A tatuagem mais antigo conhecido com uma imagem de algo específico, ao invés de um padrão abstrato, representa o deus Bes. Bes é o deus lascivo de folia e serviu como o deus patrono de dançarinas e músicos. Imagem do BES aparece como uma tatuagem nas coxas de dançarinos e músicos em muitas pinturas egípcias, Bes e tatuagens foram encontradas em múmias do sexo feminino Nubian datam de cerca de 400 aC.

Deus Bès

.
Mão de Múmia Tatuada
Tatuagens modernas inspiradas no Egito Antigo:


































Fonte: Ancient Egyptian Tattooing

Um comentário:

Otávio Azevedo disse...

Na série Roma os egípcios aparecem usando várias tatuagens de hena.