segunda-feira, 23 de agosto de 2010

Critica ao filme Harry Potter e as Relíquias da Morte parte


É o fim de uma era...
É o fim de uma geração...´
É o fim de uma era que marcou uma geração inteira...
A minha geração...


A Warner Bros. fez uma exibição de teste do filme Harry Potter e as Relíquias da Morte: Parte 1, para um grupo fechado em um cinema não revelado, nos Estados Unidos. A sessão, que ocorreu em Chicago, revelou aos convidados um filme inacabado, com os efeitos especiais em andamento e a trilha sonora omitida.

O objetivo é certamente analizar a opinião de críticos para que uma melhor edição seja feita, e que em 19 de Novembro os fãs do mundo inteiro possam ver o começo do final de Harry Potter em toda sua perfeição.

O site Mugglenet recebeu uma outra crítica, muito longa, revelando detalhes do filme, como as aparições de Dobby, a coruja Edwiges, a cena dos Sete Potters e muito mais. Fique avisado: há SPOILERS.



Cobertura do Test-Screening de Relíquias da Morte: Parte 1 – Mugglenet.com #2
Tradução pelo Potterish:


O filme começa com um close de Rufo Scrimgeour (Ministro da Magia) enquanto ele está dando uma coletiva de imprensa assustadora sobre todos os perigos e horror que cercam o mundo bruxo. A cena se afasta e vira uma foto em um jornal. Nós vemos os Dursley fazendo malas, deixando Harry para trás, e a sua casa na Rua dos Alfeneiros completamente vazia. Há outra cena que começa com Hermione parecendo preocupada em seu quarto. Os produtores decidiram mostrar Hermione enfeitiçando seus pais para esquecer suas vidas e se mudarem para a Austrália. Depois de fazê-lo, ela também faz todas as fotos dela desaparecerem da casa.

Essa cena foi muito bem feita e foi uma das minhas preferidas no filme inteiro. Ela teve bastante efeito porque comunicou o que os bruxos assustados estavam sentindo por causa de Voldemort. Há uma tomada com Hermione andando em direção a o que parece uma igreja. Ela na verdade não está indo pra lá. É só a parte de uma tomada dela andando pela rua, conforme a câmera é levantada para revelar os títulos. Mais uma nota a respeito disso: Como o filme não estava completamente terminado, eles estavam usando um punhado de músicas de outros filmes, tinham algumas músicas de Harry Potter, mas a maioria me pareceu música de Hans Zimmer. Foi um pouco bizarro ver a abertura de Harry Potter e as Relíquias da Morte acompanhada de uma das melodias mais conhecidas da trilha sonora de Batman e o Cavaleiro das Trevas.

Se eu me lembro corretamente, em seguida nós vemos uma tomada de Snape chegando à Mansão dos Malfoy, aonde há uma sequência de Voldemort explicando aos Comensais da Morte sobre o mesmo núcleo da varinha dele e de Harry. A professora de Hogwarts que tinha sido capturada e torturada pode ser vista flutuando acima da mesa durante toda a cena. Nós também vemos uma troca bem intensa entre Voldemort e Lúcio Malfoy quando Voldemort pede pela sua varinha para poder matar Harry. O ator que representa Lúcio faz um bom trabalho ao demonstrar a humilhação de Lúcio ao ter sua varinha tirada. Voldemort então aproxima a professora, e depois dela implorar pela ajuda de Lúcio, ela é morta.

Há então um corte para Harry esperando pela Ordem da Fênix. Uma das coisas que me impressionou muito nesse filme foi que apesar dele ser o filme mais pesado de todos os Harry Potters, também teve algumas partes de humor leve. A cena dos sete Harrys é um bom exemplo disso. Enquanto vemos os que serviram de distração tomarem a Poção Polissuco, a câmera gira em 360 graus em volta de Harry, que está vendo todos eles se transformarem. Depois, quando eles estão trocando de roupa, tem um momento muito engraçado quando eles estão todos comentando sobre a visão de Harry, e Fleur fala o quão hedionda ela está enquanto ela tira seu sutiã. A visão de Dan Radcliffe tirando um sutiã resultou em muitas risadas da audiência. A cena é bem parecida com o que ela é no livro, com exceção da discussão entre Harry e Lupin. Na verdade, a gravidez de Tonks é deixada de lado. É meio frustrante se você leu o livro, porque eles não apenas omitiram a gravidez, eles simplesmente deixaram de lado: Quando Tonks vai anunciar que esta grávida, Olho-Tonto a puxa de lado e fala o quão importante é mudar Harry de lugar. Mundungo Fletcher é rapidamente apresentado, sem muito pano de fundo, apesar de que é bem claro de que ele está lá à força e que ele é um personagem superficial.

Um pouco antes de eles saírem, nós vemos a cena de Harry soltando Edwiges pela porta da frente da casa, como vimos em fotos de publicidade recentes que estiveram circulando pela internet. A cena de perseguição em seguida é bem excitante, apesar de que é mais focada em Harry e Hagrid (que é paralizado ou estupefado um pouco depois da perseguição começar, deixando Harry para se virar sozinho). A perseguição por si só é bastante excitante, e toma lugar bem alto no céu, e na altura da rua, incluindo uma sequência que atravessa um túnel que tem a motocicleta dando loops e Harry entrando de fininho num caminhão enquanto tenta salvar sua vida. A morte de Edwiges foi bastante modificada, e eu acho que foi uma melhoria. Ao invés dos Comensais da Morte descobrirem quem é o Harry verdadeiro porque ele usou Expelliarmus, eles descobrem porque Edwiges está voando perto dele, tentando protegê-lo. No filme, quando Harry é quase atingido por uma maldição da morte, Edwiges entra na frente e morre. Hagrid acorda quando eles estão entrando na área protegida pelos Weasleys e um por um, a Ordem da Fênix chega. Nós não vemos a morte de Olho-Tonto, é apenas citado que ele foi morto depois de Fletcher escapar. A cena aonde Lupin questiona Harry é idêntica ao livro, e muito bem colocada em cena.

Depois disso, há uma tomada de Harry tentando partir e Rony o convencendo para ficar para o casamento. Nós os vemos montar a tenda para o casamento enquanto Rufus Scrimgeour chega para ler as últimas vontades de Dumbledore. Eu achei a cena muito interessante, e os produtores se esforçaram ao tentar manter a relevância dos itens que Dumbledore deixou durante o filme. O pomo de ouro é visto voando em volta de Harry diversas vezes durante o filme, o Desiluminador de Rony é usado diversas vezes. Os Contos de Beedle, o Bardo é primeiramente ignorado, mas depois, obviamente, são uma parte essencial do filme.

A maior mudança na cena do casamento é que Harry não se disfarça. Nós vemos alguns personagens antigos como Madame Maxine e Victor Krum (que dança com Hermione enquanto Rony olha com ciúmes no fundo). É lá também que nos é apresentado o Sr. Lovegood, que foi muito bem interpretado. A câmera foca propositalmente em seu colar, mas nada é mencionado. Nós não sabemos a sua importância até depois, e não há a briga entre ele e Krum. Então há uma conversa curta, mas importante entre Harry, Tia Muriel e Elifas Doge em que um pouco do passado de Dumbledore é exposto. A atriz que interpreta Tia Muriel faz um trabalho muito bom ao provocar Harry por não conhecer bem Dumbledore. O casamento é interrompido pelo Patronus anunciando que o Ministério caiu e a iminente chegada dos Comensais da Morte. Depois de uma saída caótica, vemos o trio entrar em um café, aonde eles são atacados por uma dupla de Comensais. Há uma sequência bem interessante nessa hora aonde Hermione usa o mesmo feitiço de memória que ela usou em seus pais em um dos Comensais.

As sequências do Largo Grimmauld são bem resumidas comparadas ao livro. O trio descobre que RAB é Régulo Black muito rapidamente e não há dúvidas que foi ele que substituiu o medalhão. Harry encontra Monstro e manda ele atrás de Mundungo Fletcher quando ele descobre que ele roubou o medalhão. Toda a história paralela do retrato duplicado no Largo Grimmauld e o escritório do diretor de Hogwarts é cortada. Há uma sequência curta no Beco Diagonal, aonde nós vemos Fletcher se escondendo das pessoas (e a primeira visão do pôster do Harry Potter – Indesejável #1). Há então um corte para Harry, Rony e Hermione sentados em volta de uma mesa, quando eles ouvem um barulho e vêm Mundungo Fletcher com Monstro pendurado em volta de seu pescoço. Então, em uma cena que teve uma das maiores reações da audiência, Dobby cumprimenta Harry Potter enquanto a câmera vira para mostrar ele se pendurando na perna de Fletcher. Depois de umas breves perguntas, eles percebem que precisam ir ao Ministério.

A sequência do Ministério é quase igual à do livro. Eu tenho que dizer que ver as pessoas darem a descarga nelas foi muito engraçado, principalmente depois de ver as pessoas em fila entrando nos banheiros, mas não saindo. Uma coisa que marcou foi que os produtores fizeram uma comparação entre os Trouxas e os Nazistas. A estátua da entrada do Ministério foi substituída por a de um trouxa sendo pisoteado até a morte por bruxos. Depois, quando Harry entra no escritório de Umbridge, você vê trabalhadores fazendo propaganda anti-trouxa que parece quase que exatamente com propaganda nazista.

Os guardas do Ministério têm até faixas vermelhas em volta dos braços, parecidas com as dos Nazistas. Isso me incomodou um pouco porque mesmo que tenha sido bastante dito nos livros, estava visualmente muito óbvio. Os efeitos especiais deles escapando do Ministério não estavam terminados, mas eles incluíram o choque com Dementadores no tribunal e um duelo de feitiços com uma tropa do Ministério. Finalmente, os vemos aparatar no meio da floresta, e o braço de Rony está seriamente machucado, o que o torna inútil por um tempo, e isso prepara o palco para seu ciúme, e depois, sua partida.

Depois disso, o filme dá uma desacelerada, e entramos nas cenas aonde Harry, Rony e Hermione andam no meio da floresta. Eu estava preocupado que o filme teria o mesmo problema de ritmo que o livro durante essa parte, e fui provado certo. Essas cenas tendem a serem um pouco entediantes, principalmente porque a primeira parte do filme é tão cheia de sequências de ação. Uma coisa que faz essas cenas serem um pouco mais interessantes que no livro é que as locações que eles usaram para as filmagens são absolutamente estonteantes. Palmas a quem encontrou esses lugares. Outro grande elemento dessa parte é o medalhão horcrux, e o efeito que ele causa em quem o usa. De certa forma, essas cenas lembram um pouco de Senhor dos Anéis, por causa das constantes tomadas de paisagens bonitas e o jeito que o medalhão e o anel afetam quem o usa.

É interessante notar que, enquanto Rony ouve ao radio, a história paralela do Observatório Potter é quase ignorada. Como o filme é muito mais focado no que Harry, Rony e Hermione estão fazendo (pense como se fosse em Guerra dos Mundos ou Sinais, que nós nunca vemos o que acontece no mundo exterior), eu acho que o desuso do Observatório Potter foi uma oportunidade de mostrar como as coisas estavam ruins no resto do mundo perdida.

As cenas de Rony brigando com Harry e Rony indo embora foram bem feitas, em minha opinião. As performances foram provavelmente as melhores de todos os filmes, principalmente do trio.

Depois que Rony parte, Harry e Hermione decidem ir para Godric’s Hollow. A cena do momento em que eles chegam é outra das minhas favoritas no filme. O cenário e o tom são bem sombrios, como o resto do filme, mas isso fica contrastado com a neve e o cântico de Natal que eles escutam de uma igreja próxima. A cena em que Harry acha os túmulos de seus pais é o mais perto possível da perfeição. Uma Batilda Bagshot bem arrepiante aparece no cemitério e os guia até sua casa. Assim como no livro, ela não fala na frente de Hermione, e leva Harry para o andar de cima, aonde ela fala com ele em língua de cobra (uma mudança do livro, aonde a gente não descobre que é língua de cobra até mais tarde). O efeito de Nagini saindo de Batilda estava incompleto. Praticamente, nós vimos o que parecia ser o local aonde a computação gráfica vai colocar a parte em que a pele de Batilda cai no chão e Nagini sai. O que nós vimos foram algumas imagens rápidas dela saindo da cena. Voldemort não aparece em Godric’s Hollow antes de eles desaparatarem.

Nós vimos Harry tendo outro sonho / memória compartilhada dessas que ele tem ao decorrer do filme, levando ele um passo à frente na descoberta sobre a Varinha das Varinhas. Quando ele acorda, Hermione diz que ele esteve inconsciente por algum tempo. Eu não consigo lembrar se é aí que esta cena fica no filme, mas o roteirista colocou uma cena muito, muito boa de Harry e Hermione deixando o medalhão (e consequentemente, suas preocupações) de lado, e eles fazem uma estranha, porém tocante, dança na tenda. Também foi uma das minhas cenas favoritas do filme, porque trouxe uma leveza para todos os maus momentos pelos quais eles têm passado até ali.

Depois disso, nós vemos a cena da corça prateada levando Harry até a espada de Gryffindor, e a cena se parece muito com a do livro, incluindo uma revelação dramática de que é Rony quem resgata Harry do afogamento na água gelada. Depois que eles pegam a espada de Gryffindor, Harry abre o medalhão para que Rony possa destruir a Horcrux. Quando ele abre, uma criatura maciça que parece bastante com o monstro de fumaça de Lost aparece e começa a tentar insultar Rony com tudo que o fez ir embora anteriormente. A sequência atinge seu ponto alto com o que eu penso que vai ser uma das partes mais comentadas do filme: uma ilusão prateada de Harry e Hermione fazendo topless é mostrada. Ótima atuação de Rupert Grint nessa cena.

Depois disso, eles decidem visitar o Sr. Lovegood, aonde eles finalmente aprendem sobre o símbolo das Relíquias. Numa escolha inspiradora dos produtores, a gente não somente escuta o Conto dos Três Irmãos enquanto Hermione o lê, mas ele também é mostrado numa sequência de animação. É um pouco difícil de descrever, mas vou fazer meu melhor.

É basicamente uma animação que usa somente os esqueletos contra um fundo simples que parece papel velho e amarelado. Os personagens parecem basicamente como homens-palito 3D, e é como uma versão em escala menor de algo que Tim Burton faria. Todos com os quais eu falei acreditam que essa sequência foi uma forma muito esperta de passar essa explicação.

Outra mudança dos livros é que o Sr. Lovegood chama os Comensais da Morte à sua casa dizendo o nome de Voldemort em voz alta (o tabu foi mencionado por Rony mais cedo no filme, mas não explicado de verdade). Depois que eles tentam escapar do ataque, eles aparatam exatamente para onde os sequestradores estão. Eles são caçados pela floresta, soltando feitiços com suas varinhas. A cena parece ter sido filmada com uma câmera de mão, e houve muita tremedeira e cortes rápidos, como uma sequência de perseguição de Jason Bourne. Os efeitos dessa cena também pareceram ainda estar sendo trabalhados, e não havia música (e já que grande parte do filme tem uma trilha provisória, a gente não sabe se eles deixaram essa cena sem música intencionalmente). Eles são pegos, mas não antes de Hermione deformar a face de Harry para que ele não seja reconhecido, e então eles são levados para a Mansão Malfoy.

Sabendo que o filme seria dividido, eu pensei que a fuga da Mansão Malfoy seria mais enfatizado, e a ação aumentada, para dar ao filme uma última grande sequência de ação antes do corte. Ao contrário do que eu pensei, foi muito rápido. Depois de Bellatriz perceber a espada de Gryffindor, ela mantém Hermione para torturá-la e manda o resto deles para as masmorras. As cenas de torturas são bem intensas, mas muito do que faz a cena funcionar é a reação de quem está nas masmorras aos gritos de Hermione. Bellatriz corta a palavra “Sangue-ruim” no antebraço de Hermione. Harry olha pelo caco do espelho (que ele manteve com ele durante todo o filme, enquanto olhava para o olho de Dumbledore) e um pouco depois, Dobby aparata para ajudar Harry. Uma nota interessante é que Pettigrew fica paralizado por Dobby mas não more. Dado o quanto eu odeio esse personagem, eu espero que eles o matem na segunda parte.

Depois que eles escapam das masmorras o calabouço, o confronto e fuga na mansão se passa muito rapidamente. Dobby derruba o lustre, Harry desvia e luta com a varinha de Draco contra ele. (outro ponto interessante é como Tom Felton interpretou Draco com o monte de incertezas do que está acontecendo ao seu redor. Nesta sequência, por exemplo, Draco mal se coloca em uma briga com Harry pela sua varinha, e todo o tempo, ele tem um olhar conflituoso em seu rosto). A cena termina com todos reunidos ao redor de Dobby, a fim de aparatar na casa de Gui e Fleur. Antes de saírem, vemos Bellatriz atirar uma faca contra o grupo, e toda a cena se passa em câmera lenta, de modo que você vê a faca voar em direção à Dobby, e ao mesmo tempo, vemos a chave de portal abrir. Não vemos o que acontece com a faca no momento. Em seguida, o filme corta a cena para uma praia, onde Harry grita feliz que eles estão todos bem, até que ele percebe que Dobby havia sido esfaqueado no coração com a faca que Bellatriz jogou. Dobby morre nos braços de Harry, e ele declara que quer enterrá-lo, tradicionalmente, sem mágica. Esta é a última coisa que nós vemos de nossos heróis.

A tomada final do filme é a única que toma lugar em Hogwarts (Eu não vi o castelo, mas muito provavelmente isso vai ser adicionado depois) e é Voldemort voando na direção do túmulo de Dumbledore, abrindo-o, tomando a Varinha das Varinhas de suas mãos mortas. A câmera foca no rosto cheio de satisfação de Voldemort como ele conseguiu a única Relíquia que ele procurava, a camera se agasta, e ele conjura uma gigantesca nuvem negra. Fim.

Eu diria que este é meu filme de Harry Potter favorito desde Prisioneiro de Azkaban, sem dúvidas. É também o filme mais fiel aos livros, desde os filmes 1 e 2. Ainda estou em conflito sobre a divisão porque ele soa, ao mesmo tempo, como algo apropriado e como uma desculpa para estender a série. O filme se beneficia por não ter a ação e a narrativa comprimidas, como nos últimos filmes, mas, ao mesmo tempo, a divisão soa um pouco artificial, especialmente se você leu o livro. Minha maior queixa sobre o ponto divisório é que o filme acaba pouco depois de aprendermos sobre as Relíquias da Morte (e, por extensão, a razão do título do filme). Este é o momento em que a história passa dos três personagens que tentavam entender a situação para os personagens que possuem conhecimento sobre o que irá ocorrer e sobre o que precisam fazer em seguida. Por conta disto, o filme não parece ter a forte extensão narrativa que poderia. Quando os dois filmes forem lançados, não fará sentido assistir a primeira parte sem assistir a segunda logo depois, e, no momento, este filme perde um pouco por conta disto.

A maioria dos cortes e mudanças em relação ao livro parecem trazer benefícios, ou mudanças que foram feitas para simplificar a história e evitar explicações desnecessárias. O melhor exemplo é a mudança do papel de Edwiges no começo do filme. Manter a explicação sobre o Expelliarmus adicionaria ao filme explanações confusas. A alteração permitiu uma narrativa mais fluida e tornou a morte de Hedwiges mais cheia de significado. Eles podem também reduzir um pouco as sequências na floresta. Essa parte pareceu se arrastar um pouco, como no livro. Entretanto, essas reclamações são mínimas, e não desmerecem significativamente o filme.

No geral, eu acredito que o filme corresponderá às expectativas e é um bom prenúncio de Relíquias da Morte parte 2, já que eles incluíram na parte I uma grande parcela das explicações do livro, eles poderão fazer um filme mais emocionante e com mais ação.

Fonte: http://www.oclumencia.com.br/

4 comentários:

Yv disse...

To gostando de ver amigo, firme e forte com o trabalho do blog, beijos!

Anônimo disse...

Parabéns, adorei saber mais sobre o filme em si, a morte da Edwiges tava me intrigando muito, adorei as críticas e acho que vou adorar o filme :D

Anônimo disse...

sinceramente, isso foi um resumão, não uma crítica.

alice_sapekinhabj disse...

adoro vc e seus amigos ,amo seus filmes e nao vou perder seu novo filme !beijos te adooroo.